Canal de atendimento atendimento@medaula.com.br
(31) 3245-5781 (31) 9 8882-9154
Rua Grão Pará, 737 Conjunto: 1101 - 11o andar, BH
CNPJ: 07.254.304/0001-24

Estruturas do ângulo camerular

23 de abril, 2021

O trabeculado (pigmentado e não pigmentado) será estudado fora deste quadro, pois apresenta maior importância no ângulo camerular.

Linha de Schwalbe
A linha de Schwalbe é visualizada como uma linha opaca na gonioscopia. É a estrutura mais anterior (ápice do seio camerular), representando
anatomicamente a terminação periférica da membrana de Descemet.

Esporão escleral
É formado por fibras de colágeno e corresponde a base do seio camerular, além de ser a projeção mais anterior da esclera. O músculo
longitudinal do corpo ciliar insere-se nesta região. Ele está localizado atrás da malha trabecular, sendo visto como uma banda estreita
brancacenta.

Corpo ciliar
O corpo ciliar é localizado por trás do bordo escleral e visto como uma banda marrom opaca ou acinzentada durante a gonioscopia.

Malha trabecular do ângulo camerular
A malha trabecular estende-se da linha de Schwalbe até o esporão escleral. O humor aquoso deixa a câmara anterior através dessa estrutura.
Ela é subdividida em três partes: trama uveal, trama corneoescleral e trama justacanalicular.

Observe na imagem como a malha trabecular é formada por trama uveal, trama corneoescleral e trama justacanalicular. A primeira é a mais interna e a que oferece menor resistência ao humor aquoso. A segunda oferece resistência média e, por fim, a justa-canalicular é “colada” no canal de Schlemm e é a principal responsável pela resistência na drenagem do humor aquoso.



Quer ficar por dentro de todos os nossos conteúdos?

Enviar um Whatsapp
1
Quer falar com uma consultora?
Olá, como podemos te ajudar?
Powered by